O maior portal esportivo de Araxá e região!!!
Saturday May 30th 2020

EM TEMPO: Henrique Avancini e Raíza Goulão foram os campeões da etapa Araxá da CIMTB Michelin 2020

Os dois também foram campeões da etapa de Araxá. Os segundos colocados do XCO foram o chileno Martin Vidaurre (Sub23) e a argentina Agustina Apaza.

O Tauá Grande Hotel mais uma vez foi palco para Henrique Avancini (Cannondale Factory Racing) e Raíza Goulão (Corinthians Audax Bike Team) mostrarem todo o seu potencial neste domingo (8) em Araxá. Apesar da forte chuva na noite anterior, a prova ocorreu sob o sol forte e isso não foi um problema para os atletas da Super Elite, nem para a torcida que acompanhou os melhores trechos do trajeto. Avancini cravou a prova com 1h29m28s, seguido pelo chileno Martin Vidaurre Kossmann (Lexware Mountain Bike Team) que fez em 1h30m27s e o Ulan Bastos Galinski (Caloi Team) em 1h30m28s. Entre as mulheres, Raíza não deu espaço para as adversárias. Ela terminou com 1h13m28s, logo atrás a argentina Agustina Maria Apaza (1h14m39s). Em terceiro, Letícia Cândido (Specialized Racing BR) completou em 1h15m00s.

A prova foi de seis voltas para a Elite Masculina e não teve para ninguém. Logo no início, Avancini abriu liderança e manteve até o final. “A maratona no terceiro dia fez uma grande diferença, o desgaste foi maior que no ano passado, então os atletas que estavam mais consistentes foram os que conseguiram se sair bem. O meio do pelotão teve mais variações que o normal. Agora vou seguir motivado, preparado e animado para essa temporada”, relatou.

O segundo colocado do XCO, Martin Vidaurre que é Sub23 concluiu a etapa em 4º lugar. Esta é a segunda vez que Martin compete na CIMTB Michelin. “Gosto muito de competir aqui, mas não gostei muito de como eu comecei. O ano está no início e dia após dia fui melhorando. Terminar com o quarto lugar geral é muito bom. A CIMTB é uma festa para mim. Nunca vejo tantas pessoas, nem mesmo em uma Copa do Mundo, na minha categoria. Para mim é muito especial”, contou.

Super Elite Feminina
Raíza Goulão liderou a prova e manteve a vantagem desde a primeira volta. “Eu não esperava esse resultado, mas hoje foi engraçado, me senti muito conectada com a minha bike, com a pista e, independente do resultado, saber que o meu corpo está respondendo após um ano de trabalho duro em busca da recuperação é gratificante. A cada volta eu só queria fazer força e desconectar para conseguir fazer a prova. É a primeira vez que eu ganho a camisa de líder na CIMTB, já fui campeã em algumas etapas, mas não na geral. Então está tendo um gostinho especial. Dedico a todas as mulheres”, contou

A argentina Agustina Apaza já conhece bem a prova de Araxá, ela foi campeã em 2017 e neste ano conquistou a segunda colocação. “Esta prova é única em nível de organização e alto nível dos competidores. Gostei do meu resultado e acho que fiz uma corrida muito boa. A CIMTB é um exemplo para as competições na argentina e referência para os principais eventos da América Latina”, concluiu.

Resultados Gerais
Raiza Goulão recuperou durante a etapa. No Contrarrelógio ela ficou com a 5º colocação, no Short Track ela foi vice-campeã e conseguiu levar a melhor na Maratona e precisava de mais de 30 segundos de vantagem para recuperar. Raíza superou o tempo que era necessário e terminou com mais de um minuto à frente da argentina Paula. Ela conseguiu o tempo acumulado de 5h09m44s, Paula Quiros com 5h10m51s e Agustina Apaza fechou a etapa com 5h12m30.

“Já estive em Araxá três vezes e essa foi a melhor. Estou melhor preparada e fiquei feliz com o resultado geral. A CIMTB é de um nível muito alto e representa muitos pontos. É um ano olímpico e a participação foi muito importante para se manter no ranking”, comentou Paula.

No masculino, Avancini foi líder absoluto em todos os estágios com o acumulado de 4h41m35a, seguido do colombiano e campeão Mundial Hector Paez com 4h47m35s.. Estou contente em estar pela primeira vez nessa cidade muito bonita, estou feliz também pela minha pontuação nesta competição que tem muito peso para o calendário, eu não sou especialista em maratona e isso me prejudicou um pouco, mas no final foi bom”, finalizou. Completa a terceira colocação Ulan Bastos que fechou com 4h48m23s.

Concurso de redação e desenho premia alunos da rede municipal de ensino durante a CIMTB Michelin

Jhenifer Lopes Ferreira e Kimberlyn Thaionara levaram para casa uma bike novinha da Groove.

Cerca de 10 mil alunos de escolas da rede municipal de ensino de Araxá participaram do Concurso de Redação e Desenho da CIMTB Michelin na tarde desde domingo (08). A campanha em parceria com a Prefeitura Municipal de Araxá tem o objetivo de estimular a criatividade e disseminar os benefícios da bike, além de incentivar a prática do esporte. Para participar os estudantes produziram uma redação e um desenho com o tema: “Pise no pedal e seja feliz”, e os primeiros colocados de cada categoria foram premiados com uma bike da Groove, as demais colocações ganharam livros de escritores araxaenses.

“Já estamos com essa parceria há cinco ano e essa bike é um incentivo. Nós acreditamos nas novas gerações e foi uma forma que vimos de representar isso”, ressaltou Sérgio Gallo da Groove, patrocinadora da ação.

A vencedora na categoria desenho foi a aluna Kimberlyn Thaionara Santos do Nascimento da Escola Municipal Manoela Lemos, orientada pela professora Ester de Brito Silveira. Já na redação venceu a estudante Jhenifer Lopes Ferreira, da Escola Municipal Dona Gabriela, com o apoio da professora Eliane Borges Soares Afonso. “Minha inspiração para escrever é a alegria que eu sinto quando eu ando de bicicleta, vou aproveitar muito minha bicicleta nova, estou muito feliz de ter ganhado porque escrevi minha redação com todo o coração”, contou.

Mulheres no MTB: Atletas contribuem para o crescimento feminino no esporte

Raquel Gontijo e Jaqueline Mourão estão entre as inúmeras mulheres que com muita luta, conseguiram seu espaço no cenário do Mountain Bike.


Atualmente várias mulheres competem nos mais altos níveis e em todas as categorias do Mountain Bike, ganhando medalhas e deixando seus nomes gravados na história do esporte, mas saiba que nem sempre foi assim. Foram anos de luta para que as mulheres tivessem oportunidades e tivessem categorias reconhecidas nos órgãos de regulamentação do MTB. A CIMTB Michelin foi uma das pioneiras na inserção do cenário feminino nas provas, e também na divisão de categorias. Em 2020, a Copa teve um aumente de cerca de 50% no número de inscrições de mulheres. Uma das responsáveis por contribuir com esse crescimento é Raquel Gontijo, a atleta que deu suas primeiras pedaladas há 18 anos relata algumas dificuldades enfrentadas, e como ela ajudou a transformar o esporte por meio da luta feminina por espaço e igualdade.

“O esforço para garantir um espaço para as mulheres dentro do Mountain Bike é grande, quando eu comecei existia só categoria Elite no Brasil e não tinha MTB para mulher, não tinha nem roupa adequada para nós. Eu tinha 42 anos quando comecei e tinha que pedalar sempre com a Elite, mesmo já sendo filiada eu não me sentia integrada”, contou.

A partir daí, Raquel iniciou um movimento para criar uma categoria amadora dentro do MTB e também adequada por idades para que ela e outras competidoras tivessem as melhores condições. “Os organizadores já não me aguentavam mais, pois sempre fui insistente. Com o crescimento do esporte e consequentemente da participação feminina, fomos conseguindo que as provas abrissem espaço com o nome de amador. A CIMTB Michelin foi pioneira na criação dos espaços femininos. Em 2006 comecei a competir no amador feminino, porém somente em 2018 tivemos a regularização da Confederação Brasileira de Ciclismo – CBC”, relatou.

Raquel não parou de pedalar, e com isso conseguiu vários títulos antes do tão esperado reconhecimento. “Quando eu era filiada na elite, eu competia no campeonato mundial fora do Brasil, mas aqui eu não tinha esse lugar. Em 2012 o Brasil sediou o Campeonato Mundial Master sem ter as categorias femininas Master regulamentadas. Fui vice-Campeã Mundial Master, fui medalha de bronze no Mundial Master, fui vice-campeã pan-americana Master e três vezes medalha de bronze, isso ainda quando o Brasil não tinha categoria Master Feminina”, explicou.

Atualmente as categorias femininas possuem inúmeras filiações, entre elas a Master de 30 a 40 anos, de 40 a 50 e acima de 50. “A CIMTB já estava com tudo pronto, e quando eu larguei em um evento deste nível, dentro do Master adequado para minha idade, e finalmente reconhecida pela CBC, foi uma emoção enorme”, lembrou.

Raquel lembra ainda que algumas dificuldades são culturais, entretanto os padrões estão sendo quebrados graças a força de vontade e pioneirismo das mulheres que ousam a pensar diferente, seja no esporte ou em qualquer outra área. “Nós mulheres não somos criadas para nos aventurar ou nos arriscar, somos criadas para ter medo como se fossemos frágeis. O dia em que percebermos que não existe limite, que não existe o medo, a partir disso conseguiremos transformar o mountain bike em algo libertador”, disse.

Pioneira

A atleta Jaqueline Mourão foi a primeira mulher a representar o Brasil nas Olimpíadas, é campeã mundial, campeã da Copa Internacional em 2006, reconhecida cinco vezes como a melhor atleta do Mountain Bike pelo Comitê Olímpico Brasileiro e também teve um papel importante na consagração das mulheres no cenário mundial das bikes.

“Tive pessoas que me inspiraram muito e acompanhei de perto essa evolução. Hoje acredito que já temos o nosso lugar no MTB. O que eu deixo para as meninas que estão começando agora é de acreditar em si mesma, curtir e sentir amor pelo esporte, competir, desafiar a si mesma e nunca se comparar pois cada vitória terá um gosto especial. Nós somos metade da população mundial e porque não nos esportes?”, concluiu.

Henrique Avancini e argentina Paula Quiros repetiram o feito e levaram XCC

Luiz Henrique Cocuzzi e Raíza Goulão Goulão foram os vice-campeões. Prova aconteceu em 06 de março (sexta-feira)

O Short Track esquentou a CIMTB Michelin no segundo dia de provas e levou o brasileiro Henrique Avancini (Cannondale Factory Racing) e a argentina Paula Quiros a repetirem o feito do dia anterior. Os dois foram os campeões do Short Track que aconteceu no último dia 6 de março, uma sexta-feira. A segunda colocação no masculino ficou para Luiz Henrique Cocuzzi, seguido de Catriel Soto. Já no feminino, Raiza Goulão foi a vice-campeã, seguida da argentina Agustina Apaza. Confira os resultados.

Sendo uma prova de duração média de 35 minutos e uma pista de cerca de 2 km, é precisar dar toda a força do início ao fim. O pelotão do masculino se manteve pelos primeiros 15 minutos. Aos poucos a prova foi ficando mais clara e a disputa ficou principalmente entre os brasileiros Avancini e Cocuzzi. E quem deu força para os atletas todo o tempo, foi a torcida

“Quem me conhece sabe que eu não sou um cara que persegue muitos recordes, eu busco quebrar barreiras e uma vez que eu alcanço algo eu não tenho motivação para repetir várias vezes, mas aqui em Araxá estou buscando minha sétima vitória consecutiva e a única razão para ter motivação para buscar isso é o carinho que eu vejo da galera comigo”, comentou o campeão Henrique Avancini.

Para Luiz Henrique Cocuzzi, a estratégia era atacar, mas segundo ele, faltou acertar o momento correto para isso. “Hoje a prova foi muito intensa, o pelotão se manteve junto o tempo todo e faltando duas voltas eu consegui manter o gap com Avancini. Ficamos costurando isso e minha estratégia na última volta não deu muito certo, ataquei muito cedo, mas estou muito feliz com meu desempenho”, afirmou.

No Feminino, a disputa foi grande. Raíza e Paula brigaram para segurarem a primeira colocação durante toda a prova, mas foi no Sprint Final que Paula conseguiu cruzar a linha de chegada com a primeira colocação, com 35:39.592, poucos milésimos de segundo em relação à vice. Com o resultado, Paula mantém a liderança na competição. “A prova não foi fácil. Eu e Raíza ficamos todo o tempo alternando posições. Foram 20 minutos nesta disputa e quando consegui passar com a primeira colocação fiquei muito aliviada pois consegui manter a camisa de líder e agora é preparar para a Maratona, que é meu grande desafio”, afirmou a argentina.

Alguns metros antes da chegada, Raíza mantinha a primeira colocação e levou o público ao delírio. “Estou muito feliz. Estratégia feita, estratégia cumprida. Hoje era uma prova muito curta, então não íamos conseguir modificar muita coisa pelo pouco tempo. O grande dia é amanhã e eu estou muito feliz de estar disputando com a Paula. É uma atleta que vem crescendo muito e está muito forte. Então, acho que eu coloquei em prática minha estratégia e ela conseguiu no Sprint final. Isso é mais um motivo para nos próximos dias eu consegui fazer melhor”, afirmou Raíza.

Michelin

A Michelin, líder do segmento de pneus, se dedica ao desenvolvimento da mobilidade de seus clientes, de forma sustentável, criando e distribuindo os pneus, serviços e soluções mais adequados às suas necessidades; fornecendo serviços digitais, mapas e guias, para ajudá-los tonar suas viagens experiências únicas; e desenvolvendo materiais de alta tecnologia, que atendem à indústria da mobilidade. Sediada em Clermont-Ferrand (França), a Michelin está presente em 170 países, emprega 114.100 pessoas em todo o mundo e dispõe de 70 centros de produção implantados em 17 países diferentes que fabricaram 190 milhões de pneus em 2017.

Sense Bike

Parte da Lagoa Participações, a Sense Bike foi criada em 2009, com o sonho de construir uma marca de bicicletas feita por apaixonados para apaixonados, com padrão internacional, foco em desenvolvimento e indústria de ponta. Com o objetivo inicial de atender às demandas voltadas para a mobilidade urbana, tornou-se referência no mercado no desenvolvimento de bicicletas elétricas. Em 2014, foi inaugurada a fábrica em Manaus, que possibilitou o início da produção de quadros, bem como a montagem de bicicletas elétricas e convencionais (mountain bike, urbana e road), com o que existe de mais inovador em tecnologia. Em abril de 2018, a Sense Bike comprou a Swift Carbon Global, importante fabricante mundial de bikes em fibra de carbono, com operação industrial na cidade do Porto (Portugal). A marca também é patrocinadora de uma das equipes mais importantes do MTB nacional – a Sense Factory Racing, que já conquistou grandes títulos em competições nacionais e internacionais.

CIMTB Michelin 2020

A CIMTB Michelin conta pontos para o ranking mundial, da União Ciclística Internacional (UCI), fazendo parte do ciclo Olímpico Tóquio 2020, ranking Brasileiro e estaduais.

Copa Internacional de Mountain Bike comemora a 25ª Edição em 2020. O evento tem patrocínio da Michelin, o pneu oficial da competição, e Co-Patrocinio da Sense Bike. Use a hashtag #CIMTBMICHELIN e concorra a prêmios.

CLIQUE AQUI PARA MAIS SOBRE MOUNTAIN BIKE

CLIQUE AQUI PARA MAIS SOBRE ESPORTE ESPECIALIZADO

CLIQUE AQUI PARA A PÁGINA DE COMENTÁRIOS

Ou utilize o formulário de contato abaixo:

Deixe o seu comentário


um + 6 =


    ----

Nossos Parceiros

  • 150 – MARCIO BUFFET (MRM)

(34) 98868-6062

  • 110 – Radio Web Araxa
  • 111 – ANUNCIE AQUI
  • 112 – EXPRESS DELIVERY
  • 113 – HQ BRASIL
  • 114 – ANUNCIE AQUI
  • 115 – radio jovem
  • 116 – AEF
  • 117 – Oficina da Imagem
  • 118 – ANUNCIE AQUI
  • 119 – Patrocinense nos Esportes
  • 120 – GD Eletricistas
  • 121 – ANUNCIE AQUI
  • 122 – ANUNCIE AQUI
  • 123 – WLD
  • 124 – Molas Andrade

Estástiscas

  • 2Visitantes online:
  • 20/02/2009Início da contagem:

Parceiros

  • 152 – Twitter do Futebol Araxá